Notícias

Isto não é uma piscina de bolinha. É arma contra seca

Imagem retirada de http://i.dailymail.co.uk/i/pix/2015/08/20/15/2B5F1B7000000578-3204873-image-a-10_1440081706547.jpg
Imagem retirada de http://i.dailymail.co.uk/i/pix/2015/08/20/15/2B5F1B7000000578-3204873-image-a-10_1440081706547.jpg

Um mar formado por dezenas de milhões de bolas pretas é a visão que se tem, atualmente, dos reservatórios de água em Los Angeles, na Califórnia. Não se trata de um acidente, elas estão ali de propósito.

Cobrir os minguados reservatórios da cidade com esferas de plásticos flutuantes, chamadas de "bolas de sombras", foi a solução que o departamento de água da cidade encontrou para combater a seca na região, considerada a pior em 1200 anos.

Segundo o Los Angeles Daily News, os tapetes negros, que somam 96 millhões de bolinhas, evitam que a água dos reservatórios evapore,  poupando um volume anual capaz de abastecer 8.100 pessoas.

Além disso, elas protegem o reservatório da poluição aérea e da causada por animais selvagens, e ainda impede a formação de algas.

Ainda segundo o jornal, ao barrar a entrada de luz solar, as bolas ajudam até mesmo interromper reações químicas potencialmente perigosas, como a que ocorre entre brometo (encontrado naturalmente nas águas subterrâneas), e o cloro, usado para desinfetar a água potável.

Na presenção de luz solar, a mistura dessas substâncias gera um produto cancerígeno, que deteriora a qualidade água e ameaça a saúde da população.

De acordo com o USA Today, cobrir os reservatórios de Los Angeles custou 34,5 milhões de dólares. Cada bolinha saiu por 36 centavos de dólar.

O vídeo abaixo, feito em Los Angeles, foi lançado em junho, mas o processo estava em curso até a última segunda-feira, quando a prefeitura de LA liberou 20.000 bolas em um reservatório na fase final do projeto.

Fonte: Exame.com, escrita por Vanessa Barbosa