Notícias

Brasileira cria app para economizar água e ganha estágio na Nasa

Imagem retirada de http://revistapegn.globo.com/Mulheres-empreendedoras/noticia/2015/04/brasileira-cria-app-para-economizar-agua-e-ganha-estagio-na-nasa.html
Imagem retirada de http://revistapegn.globo.com/Mulheres-empreendedoras/noticia/2015/04/brasileira-cria-app-para-economizar-agua-e-ganha-estagio-na-nasa.html

A falta de água é um dos grandes problemas do Brasil nos últimos anos. É sabido por todos: a maneira mais eficiente para evitar os racionamentos é o uso consciente do recurso hídrico, seja nas casas, nas empresas e no campo.

A mineira Mariana Vasconcelos, 23 anos, deu um grande passo para ajudar na economia de água. Ela desenvolveu uma tecnologia, chamada de Agrosmart, para tornar as irrigações nas plantações mais inteligentes.

A inovação é composta por um conjunto de sensores e um aplicativo. Os sensores, espalhados por pontos estratégicos de uma plantação, medem alguns dados, como a umidade no solo, a presença de pragas e informações meteorológicas, como temperatura ambiente. As informações são enviadas em tempo real para um sistema em nuvem e processadas por um algoritmo especial.

O agricultor acessa os dados processados no aplicativo Agrosmart em um celular, tablet ou computador. E, baseado neles, estabelece os intervalos de irrigação com precisão. Evita assim, por exemplo, irrigações desnecessárias e desperdício de água. Por enquanto, a solução está em uso por agricultores na região de Itajubá, em Minas Gerais.

Segundo Mariana, a tecnologia pode resultar em uma economia de até 60% de água numa plantação. É um número expressivo, ainda mais quando se leva em conta o consumo de água na agropecuária. De acordo com informações da Agência Nacional de Água (ANA), o setor consome 70% da água limpa do país.

Prêmio

Pela tecnologia, a empreendedora ganhou o Call to Innovation 2015. O concurso promovido pela Fiap teve como tema a crise hídrica e avaliou seis startups com as melhores iniciativas para resolver os problemas globais da água.

Além de reconhecimento, Mariana ganhou com o prêmio uma bolsa de estudos para o Graduate Studies Program da Singularity University. Em breve, ela deixa a fazenda da família em Minas Gerais para estudar em um laboratório de pesquisa dentro da Nasa, na Califórina, Estados Unidos.

Criada por Ray Kurzweil, pesquisador e “futurista do Google”, e Peter Diamandis, empreendedor e escritor, a Singuarity University é uma instituição de ensino com objetivo de formar pessoas inovadoras.

Fonte: Pequenas Empresa & Grandes Negócios